Cantor excelente que possui um belo timbre aveludado de barítono. Suas interpretações têm conquistado uma série de admiradores por todo o país. Saiba mais sobre o Messias Gusmão na entrevista: GMC - Como, quando e onde começou a sua história na música? Assim como muitos cantores que vieram de um berço cristão, sempre fui incentivado a participar de corais, grupos, quartetos e solando ocasionalmente. Mas creio que me identifiquei com a musica aos nove anos de idade, quando então comecei a solar em minha igreja local em Cascavel, Paraná. Estudei alguns anos de piano, mas abandonei o instrumento para ingressar nas aulas de canto. GMC - Para quem ainda não teve oportunidade de ouvir o seu CD, fale-nos um pouco sobre ele. De qual música que você mais gosta? Em 1999, incentivado pela minha igreja, família e amigos, aceitei o convite de Deus para trilhar meu ministério musical e assim gravar meu primeiro álbum solo, de título “Uma Voz”. Tenho um enorme carinho pela canção “Uma Voz”, pois ao escrever a letra desta canção pude exteriorizar meus sentimentos. Em 2005 gravamos com alguns amigos um álbum de adoração, com o título de “Adoradores – Mais de Ti”, com o intuito de incentivar e valorizar a comunidade jovem de minha igreja. Em 2006, depois de um contato mais próximo com a gravadora e distribuidora Som & Cia, que distribuía meu primeiro trabalho e incentivava meu ministério, fui convidado pela mesma a gravar o álbum “A Cura... Toque na Alma”, uma produção dirigida pelo maestro Kleber Augusto, conhecido por seus diversos trabalhos junto a Gravadora Novo Tempo. Deste álbum, a canção que mais aprecio é “A cura”, por ter recebido uma enorme lição espiritual de uma humilde senhora cega e de seu neto doente de câncer. Aprendi que o Senhor faz o possível e o impossível para nos salvar, e mesmo que venhamos a passar por alguma provação, será para nos aproximarmos do toque de Deus. GMC - Qual o critério que você teve para a escolha das músicas? Antes de solicitar uma música a algum compositor, ou mesmo antes de compor, busco direcionar uma temática para a produção, para que todas elas estejam valorizando uma mesma idéia, bem como uma mensagem espiritual forte. Todo este processo envolve muita oração e muita intimidade com Deus e com Sua palavra, dando espaço para que Ele venha a direcionar toda a seleção de repertório. GMC - Você considera que houve um amadurecimento musical neste cd? Sim, foi com certeza um amadurecimento musical e principalmente espiritual, sobretudo pelas experiências e momentos vividos no decorrer das turnês de divulgação deste segundo trabalho. GMC - Quem pra você é hoje, no Brasil, exemplo e referência no que se refere a louvor e adoração? E falando de música solo, quem é referência pra você? Humanamente só podemos ver o exterior, já que só a Deus compete ler os corações dos seres humanos, e para que eu venha escolher um que seja referencia, seria uma resposta mais externa e agradável ao meu gosto ou ao que vivo e defendo. Levando tudo isso em consideração, admiro muito o ministério musical e pastoral do Pastor Fernando Iglesias e do André Valadão. GMC - O que você gosta de ouvir quando está no carro, em casa, etc.? Entre os cantores nacionais, tenho ouvido bastante o material da Riane Junqueira, André Valadão, Kleber Lucas, Aline Barros, Leonardo Gonçalves, Carine Luup, Communion, Nívea Soares e Novo Tom. Entre os internacionais, destaco os seguintes: Hillsong, Anthony Evans, Jeremy Camp, United, David Phelps, Avalon, Tonex, Rachael Lampa e Ronnie Freeman. Gosto de ouvir cantores estrangeiros pois são fontes inesgotáveis de idéias, e além disso me ajudam na minha adoração e no meu fraco inglês. GMC - O que é mais importante, técnica ou unção? O músico pode ter as duas características? Sem unção, sem intimidade com Deus e compromisso, o bom músico, mesmo com a mais perfeita técnica pode oscilar no campo ministerial. Quando Deus exprime seus interesses na vida de um servo, ele o capacita com a dose ideal de técnica para atingir seus objetivos. GMC - Quando um trabalho é reconhecido por sua qualidade, é natural que se obtenha sucesso por meio dele. Por outro lado, a arrogância de se tornar famoso também é bastante comum. Qual a sua opinião sobre isso? Um servo nasceu espiritualmente para servir, agregar e contribuir com uma finalidade, e quando passa por alto estes valores, entramos na arena do inimigo. Obter resultados financeiros ou reconhecimento agregado aos valores espirituais são os frutos de um coração adorador. Ter sucesso na propagação do evangelho também é uma bênção. GMC - Você acha que tem carisma? Esta é uma pergunta difícil de responder! Ganhei um presente inusitado durante a turnê: uma galinha viva pra trazer no avião. Acho que tenho um certo carisma sim. GMC - A pirataria tem aumentado muito nos últimos anos. O que você tem a dizer sobre isso? No campo espiritual, podemos dizer que não há explicação para o pecado (roubo ou sonegação) com uma boa intenção e ação, do tipo: estou pirateando, dispondo em sites, comprando material ilegal pra evangelizar. Devemos fazer justiça para sermos justos, e o reino de Deus, independente das ações humanas, é constituído de Sua plenitude e justiça. O que Deus quer em nós é um coração de adoração, preocupado em fazer o bem, evangelizando com nossos poucos ou vastos recursos, e tudo isso para contribuir com o reino. GMC - Quais sãos os seus projetos para o futuro e o que podemos esperar do seu ministério para 2009? Nestes últimos dois anos não estive mais realizando turnês intensas de vários meses e passando muito tempo fora de casa. Retomei minha faculdade de Arquitetura, e tenho atuado nesta área durante os dias da semana e me dedicado ao ministério apenas aos sábados e domingos. Em 2009, tenho convicção de que Deus quer me abençoar com maiores oportunidades de enriquecimento espiritual e musical, e a partir do mês de Julho voltarei a realizar turnês por todo o Brasil e exterior, estou apenas esperando os convites! Quanto a novas produções e participações musicais será preciso esperar uma resposta de Deus. abril/2009